Reformando a Vida da Igreja

Reformando a Vida da Igreja

Nos relatórios da expansão da fé, Lucas diversas vezes fala do crescimento numérico da igreja e de seu estado.

1º Relatório – At 2.41: “Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.”

Antes desse relato, podemos ler a pregação de Pedro. Assim, vemos no livro de Atos que vários relatórios de crescimento estão ligados à pregação da Palavra de Deus. O crescimento bíblico da igreja é decorrente da pregação bíblica e cristocêntrica da Palavra de Deus, no poder do Espírito Santo. Tanto que Lucas muitas vezes diz que a Palavra crescia ao se referir do crescimento da igreja.

2º relatório – At 2.47: “louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos. “

Este relato é precedido pela forma como a igreja vivia (vv. 42-46) e Lucas quer mostrar que o crescimento da igreja era consequência disso. Eles perseveravam na doutrina, partia o pão, oravam. O crescimento saudável da igreja está ligado à vida da igreja.

3º relatório – At 4.4: Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil.

Já este relato é precedido pela cura do coxo por Pedro e a pregação e prisão do apóstolo. Lucas aqui mostra a fidelidade e disposição dos discípulos em anunciar o evangelho mesmo podendo custar-lhes a vida e coloca isso como um dos fatores do crescimento da igreja.

4º relato – At 4.32: “Da multidão dos que creram era um o coração e a alma.”

Aqui, lemos antes a oração fervorosa da igreja contra os inimigos da igreja e por ousadia para perseverar na pregação da Palavra. Esse tipo de oração incessante e fervorosa para que ele dê a sua igreja coragem e disposição para pregar a Palavra de Deus é um dos fatores do crescimento da igreja.

5º relato – Atos 5.14: “E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor”

Antes desse relato, lemos o caso de disciplina de Ananias e Safira, mostrando que Pedro não queria que a igreja crescesse de qualquer jeito. A disciplina eclesiástica pode resultar em um diminuição momentânea do rol de membros, mas após “crescia mais e mais a multidão de crentes”, pois mantém a santidade e o temor da igreja.

6º relato – Atos 6.7: “Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.”

Este relato é antecedido pelo evento dos diáconos. A igreja estava murmurando sobre a distribuição feitas às viúvas. Os apóstolos firmaram a prioridade de seu chamado de orar e proclamar a Palavra e criou-se um grupo de diáconos para cuidar da distribuição. Medidas estratégicas sábias são usadas por Deus para impedir conflitos e ajudar o crescimento da igreja.

7º relato – Atos 9.31: “A igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judeia, Galileia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor, e, no conforto do Espírito Santo, crescia em número.”

Agora não mais estamos só Jerusalém, mas também na Galileia e Samaria. Antes do relato, lemos sobre a perseguição de Paulo contra a igreja. Após sua conversão, lemos que a igreja teve paz e crescia em número, no conforto do Espírito. Apesar da igreja poder crescer em locais perseguidos, muitas vezes a perseguição contínua (como na Coréia do Norte) acaba quase extinguindo a fé. Assim, creio que não devemos orar por perseguição, mas paz e liberdade religiosa e de expressão.

8º relato – Atos 12.24: “Entretanto, a palavra do Senhor crescia e se multiplicava.”

A igreja orava contra os inimigos da igreja e Herodes era um dos grandes inimigos, tendo inclusive prendido os apóstolos. Porém, Deus envia um anjo para libertar os apóstolos e outro para ferir Herodes e vermes para comê-lo. Deus vence seus inimigos e sua palavra continua a crescer e se multiplicar.

9º relato: Atos 16.5: “Assim, as igrejas eram fortalecidas na fé e, dia a dia, aumentavam em número.”

Antes deste relatório, lemos o segunda grande problema interno na igreja: a aceitação dos gentios. Lemos após sobre a resolução do concílio em Jerusalém trazendo paz. Também lemos sobre a desavença entre Paulo e Barnabé sobre Marcos e a decisão deles. Um dos grandes motivos para a igreja não crescer são os conflitos internos. Ficamos brigando

10º relato: Atos 19.20: “Assim, a palavra do Senhor crescia e prevalecia poderosamente.”

Neste relato podemos ler sobre a dependência divina da igreja e de como Deus agia sobrenaturalmente.

O que podemos aprender de tudo isso? Podemos aprender que Deus está no controle de tudo e ele governa a história para o bem de seu povo e que Deus usa causas secundárias para crescer a igreja: a pregação da Palavra, a oração de seu povo, a vida saudável da igreja, a disciplina e ministros focados.

Deixe seu comentário

Please enter your name.
Please enter comment.